ZEITGEIST

ZEITGEIST

Termo em alemão com o sentido de “espírito da época” ou “espírito de um tempo” para associar e captar as características gerais, como as aspirações, o pensamento, a cultura e o modo de vida de uma nação dentro de determinada era. Para citar alguns exemplos, se o termo for entendido como clima intelectual e cultural de uma época ou o espírito e aparência de uma geração, é certo afirmar que o Zeitgeist do fin se sécle foi marcado, entre outros elementos substanciais, de um pessimismo diante do novo século e expresso na literatura; que a aura, isto é, o Zeitgeist, do Romantismo, constituía na evocação de motivos mais instintivos e emocionais (pathos) do sujeito.
É notório como exemplo paralelo a série de documentários não-comerciais divididos em três partes e dirigidos por Peter Joseph, cujos nomes (Zeitgeist, o Filme, Zeitgeist: Addendum, Zeitgeist: Moving Forward) apropriam-se do termo alemão para mostrar tudo aquilo que formaria o nosso Zeitgeist atual, como o mercado monetário, as crenças religiosas, as manipulações e corrupções políticas, as teorias conspiratórias, entre outros.
Brand Arenari, num ensaio que trata da formação da sociologia alemã, cita de forma sutil que o Zeitgeist poderia ser também o “mergulho profundo no espírito de um tempo”(ARENARI, 2008, p.35), definição que nos abre possibilidades várias no campo de estudo literário e permite a comparação, a análise e até mesmo, para autores, a inspiração, baseados no espírito de determinada época.
{bibliografia}
ARENARI, Brand. “Um outro olhar sobre a modernidade: breves apontamentos sobre a formação da sociologia alemã” in: Emil Sobottka. A Modernidade como desafio teórico: ensaio sobre o pensamento social alemão, páginas 35-. EDIPUCRS, 2008.
HIERY, Von Hermann Joseph. Zur Einleitung: Der Historiker und der Zeitgeist. Disponível em http://www.neueste.uni-bayreuth.de/ZeitgeistEinleitung.htm Consulta: 31/03/2012.

TERMO
ZEITGEIST

Termo em alemão com o sentido de “espírito da época” ou “espírito de um tempo” para associar e captar as características gerais, como as aspirações, o pensamento, a cultura e o modo de vida de uma nação dentro de determinada era. Para citar alguns exemplos, se o termo for entendido como clima intelectual e cultural de uma época ou o espírito e aparência de uma geração, é certo afirmar que o Zeitgeist do fin se sécle foi marcado, entre outros elementos substanciais, de um pessimismo diante do novo século e expresso na literatura; que a aura, isto é, o Zeitgeist, do Romantismo, constituía na evocação de motivos mais instintivos e emocionais (pathos) do sujeito.
É notório como exemplo paralelo a série de documentários não-comerciais divididos em três partes e dirigidos por Peter Joseph, cujos nomes (Zeitgeist, o Filme, Zeitgeist: Addendum, Zeitgeist: Moving Forward) apropriam-se do termo alemão para mostrar tudo aquilo que formaria o nosso Zeitgeist atual, como o mercado monetário, as crenças religiosas, as manipulações e corrupções políticas, as teorias conspiratórias, entre outros.
Brand Arenari, num ensaio que trata da formação da sociologia alemã, cita de forma sutil que o Zeitgeist poderia ser também o “mergulho profundo no espírito de um tempo”(ARENARI, 2008, p.35), definição que nos abre possibilidades várias no campo de estudo literário e permite a comparação, a análise e até mesmo, para autores, a inspiração, baseados no espírito de determinada época.
{bibliografia}
ARENARI, Brand. “Um outro olhar sobre a modernidade: breves apontamentos sobre a formação da sociologia alemã” in: Emil Sobottka. A Modernidade como desafio teórico: ensaio sobre o pensamento social alemão, páginas 35-. EDIPUCRS, 2008.
HIERY, Von Hermann Joseph. Zur Einleitung: Der Historiker und der Zeitgeist. Disponível em http://www.neueste.uni-bayreuth.de/ZeitgeistEinleitung.htm Consulta: 31/03/2012.

2010-01-01 18:58:57
2010-01-01 18:58:57

Send Message to listing owner

ZEITGEIST


Deixe um comentário