Select Page

Reedição de uma obra para estabelecimento definitivo do texto em vida do autor, que autoriza essa versão final. Também se diz da reedição de um texto que não sofre alterações em relação a edições anteriores. A edição crítica de O Crime do Padre Amaro, de Eça de Queirós, preparada por Carlos Reis e Maria do Rosário Cunha, compara as versões de 1876 e 1880 (esta na sua terceira edição, de 1889). Os editores críticos consideraram que a versão de 1875, uma versão não autorizada pelo autor, não deve ser considerado canónico, e que a edição de 1889 apresenta variantes estilísticas significativas relativamente à de 1880 e que, por isso mesmo, deve ser considerada a edição ne varietur, já assim classificada por Guerra da Cal. Esta edição não terá sido corrigida por Eça, mas foi a última por ele autorizada.

Boa Tarde às Coisas Aqui Em Baixo (2003) é o primeiro livro de António Lobo Antunes em edição ne varietur. Este trabalho de revisão e fixação do texto definitivo, que revoga todas as edições anteriores, é realizado por uma comissão de professoras universitárias, constituída por Agripina Carriço Vieira, Eunice Cabral e Graça Abreu, sob a coordenação de Maria Alzira Seixo. Como é normativo neste tipo de edição, qualquer referência ou citação da obra de Lobo Antunes terá de ser retirada da edição ne varietur, de alguma forma comparável à edição da última vontade do autor.