Select Page

Também conhecido por joc partit, este género lírico da poesia trovadoresca consiste, tal como a tenção, num diálogo entre dois trovadores, apresentado sob a forma de cantiga de mestria, alternando-se a intervenção dos seus intervenientes de copla para copla. A diferença reside no facto de o trovador que compõe a primeira copla propor um dilema com duas alternativas diferentes, deixando ao seu adversário a liberdade de escolher a solução que lhe convém e comprometendo- -se a tomar a defesa daquela que foi rejeitada .

Os temas propostos incidiam geralmente sobre problemas de casuística amorosa, sendo frequentes os debates entre trovadores que discutiam se seria pior a morte da amada ou a sua infidelidade. No entanto, nos partimen também podiam ser tratados assuntos variados, como a pretensa superioridade do povo francês contra a do povo catalão ou a dos habitantes da Lombardia contra os da Provença, etc. Nestes debates não era importante a chegada a uma conclusão irrefutável, mas sim a demonstração de técnica verbal e poética por parte dos trovadores. Não chegando evidentemente a consenso, e tendo cada trovador a certeza de que havia sido mais convincente do que o outro, era frequente o apelo a um juiz que ditasse a vitória nesta espécie de jogo cortês.

{bibliografia}

GONÇALVES, E. “Tenção” in Dicionário da literatura medieval galega e portuguesa, Organização de Giulia Lanciani e Giuseppe Tavani, Caminho, 1993; LE GENTIL, Pierre: La poésie lyrique espagnole et portugaise a la fin du moyen âge Vol I,2ªed. Slatkine,1981(1ªed.,1953); RIQUER, Martín de: Los trovadores-Historia literaria y textos – Tomo I , 2ªed., Coléccion Letras e Ideas, Editorial Ariel, 1989 (1ª ed.,1975); ROUBAUD, Jacques, Les Troubadours, Éditions Seghers, 1971; TAVANI, Giuseppe: A poesia lírica galego-portuguesa, Comunicação, 1990.