Select Page

Termo alemão (Kraft, “vigor, energia” + Genie, “génio”) que corresponde ao poder do génio criador para produzir uma obra de arte original. A exigência de originalidade é importante neste conceito que se integra no espírito reformador do movimento alemão Sturm und Drang, também conhecido por Geniezeit (período do “génio criador”), em pleno vigor do Romantismo europeu que havia seguido o apelo de Rousseau para valorizar o indivíduo e menosprezar o gosto estético ditado pelas convenções sociais. O génio criador devia dominar a produção artística, que não podia nem devia ser prescrita de forma científica. A arte é vista como o resultado de uma expresão individual livre, espontânea e intensamente vivida, por isso as formas preferidas para concretizar literariamente este objectivo são a poesia lírica e o drama íntimo. Goethe e seus pares assumiam-se exemplarmente como Kraftgenies, modelo de artista que encontramos em muita literatura europeia da segunda metade do século XVIII.