Select Page

O vocábulo Kunstmärchen deriva da palavra Märchen, ou seja, conto de fadas. Como tal, Kunstmärchen significa conto artístico. Tratando-se de contos de fadas, nestes contos existe a interpenetração de elementos do mundo real e do mundo ficcional. Contudo, o Kunstmärchen é um género diferente, pois ao contrário do Volksmärchen (conto de fadas popular), ou mesmo do Märchen, não é transmitido oralmente mas sim pela escrita, não tendo deste modo uma tradição oral. Sendo uma espécie de conto de fadas, este resulta de uma invenção individual do autor que tem como base um conto transmitido oralmente. Apesar do conto poder não ser totalmente original, como produção de um determinado autor, este torna-se propriedade sua, tendo este autor todos os direitos sobre ele. É também importante o facto de que os autores destes contos artísticos são já conhecidos e de renome.

Normalmente, os Märchen ou os Volksmärchen têm como objectivo dar a perceber às crianças a diferença entre o bem e o mal, fazendo com que estas optem pelo caminho a tomar, que geralmente é o daqueles que fazem o bem. Estes contos são orientados para o futuro, pois guiam a criança promovendo o desenvolvimento da sua personalidade e o seu crescimento interior, uma vez que de forma subtil as ensinam a lidar de forma construtiva com elementos adversos. Já o Kunstmärchen tem uma função diferente destes, pois o seu objectivo é fazer os adultos pensar, é moralizar, além do entretenimento. Alguns autores tratam mesmo de problemas reais da sociedade, tentando encontrar de forma metafórica soluções para estes.

Embora os Kunstmärchen sejam sempre ou quase sempre influenciados pelos Volksmärchen, nestes o que domina é o texto, sendo todos os elementos secundários do Volksmärchen esquecidos. Muitos destes contos desenvolvem o mundo das fadas até ao limite, trivializando completamente o maravilhoso. Como produção individual de um determinado autor, estes dão-nos a conhecer o estilo e a atitude particular do seu autor. De forma geral, estes exigem um estilo e uma técnica bastante sofisticada, pois os autores necessitam de bastante liberdade para a produção das suas construções fantásticas e até mesmo bizarras.

O Kunstmärchen existiu durante o período do Rocócó francês, mas teve o seu auge na literatura alemã com os escritores românticos. Contudo, na Alemanha surgiram como expressão alegórica de uma tentativa de aprendizagem da Aufklärung (Iluminismo). Para estes autores os segredos e a verdade da vida encontravam-se na sua poesia, no mundo imaginário onde não existem limites. Estes contos continuam a ter importância mais tarde durante o realismo e o naturalismo.

Como exemplos de Kunstmärchen temos Kinder- und Hausmärchen, dos irmãos Grimm, Gockel, Hinkel und Gackeleia, de Brentano, Standhafter Zinnsoldat, de Hans Christian Andersen, Nussknacker und Mäusekönig, de E.T.A. Hoffmann.

{bibliografia}

Barry W. Rosen: “Metamärchen: Reevaluating and Defining the Romantic Kunstmärchen”, Folklore Forum, 18, 1 (Bloomington, 1985); Gerhard Ruckert: “Volksmärchen und Kunstmärchen”, in Ottilie Dinges et al. (eds.): Märchen in Erziehung und Unterricht (1986).